Renegociação de Dívidas no Cenário Atual





O Comitê de Política Monetária – COPOM tem como um de seus objetivos estabelecer a taxa básica de juros da economia – SELIC que serve de parâmetro para as demais instituições financeiras decidirem os juros que cobrarão. Dessa maneira, quanto menor for a SELIC, menor é o custo do dinheiro para as instituições financeiras e, portanto, o repasse para os clientes também reduz.

As taxas de juros das instituições financeiras não se modificam na mesma proporção que a SELIC diminui, isso porque as suas taxas englobam além da SELIC, outras informações como o risco de inadimplência, taxa de desemprego, os custos administrativos e também o lucro.

Para definir a SELIC, o COPOM observa como está a inflação no país, o nível da atividade econômica, as contas públicas, entre outros fatores. Se, por exemplo, a inflação está alta, a decisão é aumentar os juros para reduzir a disponibilidade de moeda e desestimular o consumo para que a inflação reduza. Por outro lado, se a inflação está baixa e controlada, a decisão das autoridades monetárias é aquecer a economia através da redução dos juros para que os empréstimos e financiamentos barateiem e estimulem o consumo.

O Banco Central nos últimos anos vem adotando a política de redução dos juros, dos 14% ao ano em 2016 até o menor nível histórico de 2,25% ao ano em 2020. Isso se deve ao fato de a inflação apresentar valores bem baixos, como em 2019, quando o índice foi de 4,31% ao ano. E também da tentativa de fazer o Brasil a voltar a ter crescimento econômico como ocorreu durante os anos de 2017 a 2019.

Este momento de juros e inflação baixos é ideal para a renegociação de dívidas antigas, que tiram o sono de muitos cidadãos, pois é possível aproveitar as baixas taxas de juros e correção monetária para negociar em condições mais favoráveis.

A MGI trabalha com a renegociação de dívidas provenientes da extinta Minascaixa e dos bancos privatizados BEMGE e Credireal sucedidas pelo Estado de Minas Gerais ou pela própria MGI. O principal fator de atualização dessas dívidas, conforme legislação vigente, é o INPC, que se encontra no patamar de 2,35%, considerando o acumulado nos últimos 12 meses, e 0,36% no acumulado de 2020, ambos na posição de junho de 2020.

Você que possui dívidas com a Minascaixa, BEMGE e Credireal e deseja regularizar, aproveite o cenário econômico favorável e venha negociar, com ótimos descontos e condições de parcelamento! Para saber mais, envie um e-mail para negociacao@mgipart.com.br.




22/07/2020